Inerte

sábado, 3 de abril de 2010

Me pergunto se eu que parei ou o mundo que não mudou
Talvez a melancolia tenha se tornado uma constante
A rotina perdeu a graça
A monotonia não me atrai

Eu quero o caos
Quero o calor
Quero a vida


Não sinto ao menos o desejo de esquecer
Talvez nem lembrar de algo ajude
Ou valha o esforço
Não sei


A vida cansa quando agitada
A vida cansa quando parada
O ser humano define a perfeição tendo como base os problemas

Relacionamentos

Problemas


Continuo seguindo por enquanto
Tudo que a vida ajudou a empurrar
Essa vida da qual esperei tanto
E agora continuo a esperar

Sigo a inércia
Não tenho mais vontade
Se algo acontece ou não
Não faz diferença


Tudo está quase parando

1 comentários:

Mrs. Doll disse...

Nhaa... Que mentira, sr. deprê u_u
Novos acontecimentos, novas perspestivas... tudo sempre ajuda!... E FAZ DIFERENÇA!
E se vc continuar negando, serei eu obrigada a mostrar isso?

Postar um comentário