Sol, você

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Hoje meu dia começou com o Sol encoberto
Sua visão tomadas por nuvens de insegurança e incertezas
Hoje a estrela mais brilhante não surgiu no meu céu
E mais uma vez me senti só

Senti como se essa estrela fosse só uma boa memória
Um breve momento de alívio após uma tempestade
Sinto como se esse único dia fosse um buraco no tempo-espaço de nossa história
Queria dormir e acordar queimando em seu calor

Gostaria de ver novamente seus olhos me fitando
Sentir as pontas de seus dedos tocando uma vez mais a minha pele
Sentir seus braços frágeis ao redor de meu pescoço
Pensar que estava completo

De que tipo de droga é feito nosso relacionamento?
Como sacio minha abstinência de seu beijo?
Isso também irá passar ou irá me queimar?
Não sei o que dizer

Sei que sinto sua falta
Sei que quero seu brilho em meus dias
Sei que te quero
E poderei ser feliz pelas poucas horas que te ver

1 comentários:

Jose Ramon Santana Vazquez disse...

...traigo
sangre
de
la
tarde
herida
en
la
mano
y
una
vela
de
mi
corazón
para
invitarte
y
darte
este
alma
que
viene
para
compartir
contigo
tu
bello
blog
con
un
ramillete
de
oro
y
claveles
dentro...


desde mis
HORAS ROTAS
Y AULA DE PAZ


COMPARTIENDO ILUSION
CROW

CON saludos de la luna al
reflejarse en el mar de la
poesía...




ESPERO SEAN DE VUESTRO AGRADO EL POST POETIZADO DE CHAPLIN MONOCULO NOMBRE DE LA ROSA, ALBATROS GLADIATOR, ACEBO CUMBRES BORRASCOSAS, ENEMIGO A LAS PUERTAS, CACHORRO, FANTASMA DE LA OPERA, BLADE RUUNER ,CHOCOLATE Y CREPUSCULO 1 Y2.

José
Ramón...

Postar um comentário