Tudo e Nada

sábado, 2 de janeiro de 2010

A cada passo incerto que dou tento ao menos encurtar a distância entre nós, mas ainda assim você se afasta e eu continuo.
Nesse jogo eu me perco, acabando por voltar sempre ao mesmo lugar de que saí, lugar nenhum.
Eu não sei quem sou sem você em minha vida, procuro não imaginar. Não é a minha única opção, mas é a minha escolha egoísta que me deixaria feliz, sem saber o que você prefere.
O que você gosta? O que deseja? Quem procura?
Depois de tanto tempo pensando te conhecer, não sei o que sente por mim nem por ninguém, não conheço seus gostos, desejos e prazeres.
Não passo de um vazio tentando se aproximar de uma massa sólida, um nada querendo o tudo para se completar.
Por que insisto na penitência da solidão enquanto busco esse sonho se eu poderia viver de um modo diferente?
Eu poderia estar sendo feliz agora de qualquer outro jeito, por que não estou?
Porque a felicidade de ficar ao seu lado compensariam os dias e noites de tristezas do passado e do presente, me deixariam radiante no futuro.
E você? Tudo que sempre sonhei, teria tudo que lhe agradasse, palavras, flores, carícias, coisas, o mundo não seria grande o suficiente pra tudo que eu poderia lhe dar, tudo que eu gostaria de lhe dar.
Começo pelo meu coração, faça o que quiser com ele.
Eu não sou mais aquele monstro do passado, não passo de um reles espaço vazio, esperando que você me complete.

0 comentários:

Postar um comentário